terça-feira, 28 de junho de 2016

UM POUCO DE HISTÓRIA DA BELEZA E DA MULHER NO BRASIL: O CONCURSO INTERNACIONAL DE BELEZA DO RIO DE JANEIRO (1930)

Concorrentes do Concurso Miss Universo - Fotos de rosto.
A Noite - Suplemento. Rio de Janeiro, 28 de agosto de 1930, n. 17, p. 01.

A coisa mais corriqueira quando se faz pesquisa é encontrar informações sobre uma assunto completamente diferente daquele que se está pesquisando. Acontece muito comigo. Não consigo evitar e acabo cedendo ao impulso de saber mais, de buscar mais informações. Aí, já sabe, ou é um novo artigo ou é uma nova postagem no meu blog (ou as duas coisas).  

Esta semana ocorreu que eu estava pesquisando no Suplemento do Jornal A Noite, que circulou entre as décadas de 1930 e 1950, quando me deparei com uma série de notícias sobre concursos de beleza. Foi então que eu descobri que foi realizado um concurso de Miss Universo do ano de 1930 no Brasil. 

O promotor do evento nada mais era do que o jornal A Noite, o que explicava a atenção dada ao suplemento ao assunto. Tudo começa com o concurso de Miss Brasil, amplamente divulgado e cujo resultado foi publicado no Suplemento no dia 17 de julho. Quase sem tomar fôlego, a nova Miss Brasil já começa a se preparar para participar do Concurso Internacional de Beleza do Rio de Janeiro, que aconteceria no Rio de Janeiro apenas dois meses depois.

Cortejo nas ruas do centro do Rio de Janeiro - A Noite - Suplemento. Rio de Janeiro, 11 de setembro de 1930, n. 21, p. 12.
O Concurso internacional de Beleza do Rio de Janeiro não foi reconhecido pelo Miss Universe Organization, mas envolveu um grande aparato e atraiu a atenção de vários países do mundo, que enviaram para o Rio de janeiro suas representantes.

Ocorreram recepções luxuosas, passeios, cortejos com automóveis pelas ruas do Rio de Janeiro, tudo documentado pelo vespertino, que não poupava páginas para falar de cada evento e sobre cada uma das misses concorrentes. Foram praticamente cinco meses dedicando várias páginas ao concurso. Diria até que, se eu quisesse fazer um bom artigo sobre a História da Beleza, poderia usar o periódico como uma fonte rica para pesquisa, tal foi a forma como se detalhou a vida e os passos de praticamente todas as candidatas com, claro, atenção especial a algumas.

Há toda uma história em torno do concurso realizado no Brasil, que vai muito além de um mero desfile de beldades. Nos Estados unidos existia um concurso internacional de beleza nos  chamado International Pageant of Pulchritude (Desfile Internacional de Beleza), realizada em Galveston (Texas). O Concurso Internacional de Beleza do Rio de Janeiro de 1930 (International Beauty Contest), criado por brasileiros, ocorreu ao mesmo tempo em que a edição estadunidense. O motivo foi a não classificação da brasileira Olga Bergamini, no concurso de 1929.


Miss Portugal - Fernanda Gonçalvez - A Noite - Suplemento. Rio de Janeiro, 11 de setembro de 1930, n. 21, p. 09.

Participaram representantes de 25 países, inclusive dos Estados Unidos. Destacaram-se várias candidatas, que estampavam a primeira página do periódico, como a Miss Líbano, por exemplo, mas deu-se especial atenção à representante brasileira, a gaúcha da cidade de Pelotas, Yolanda Pereira (1910-2001) e a Miss Portugal, Fernanda Gonçalves, considerada a favorita para o título.

É interessante notar que o jornal dá muita ênfase à fotografia. Mostra fotos das candidatas em eventos sociais e, por várias vezes, colocam nas capas fotos que destacam seus rostos, muitas vezes de perfil. Segundo Denize Bernuzzi de Sant’anna (2014), em seu livro "História da Beleza no Brasil", na década de 1920, era comum que as misses tivessem suas fotografias de rosto publicadas nos jornais. Mas foram publicadas fotos muito singulares, como a foto de misses fazendo fazendo atividades físicas.
 
Miss Brasil, Yolanda Pereira - A Noite - Suplemento. Rio de Janeiro, 28 de maio de 1930, n. 05, p. 05.
É possível observar como o conceito de beleza mudou nos últimos 80 anos. Não apenas os corpos, mais robustos, como os penteados, a forma como se maquiava os olhos, o tom do batom, praticamente o mesmo, usado pelas moças. No início dos anos de 1930 as melindrosas ditam o estilo e influenciam a moda.

O resultado final do concurso saiu no dia 07 de setembro. A vitória acabou ficando com a brasileira, Yolanda Pereira, que marcou a história como tendo sido a primeira brasileira a ganhar um título internacional de beleza. O segundo lugar ficou com a favorita, Miss Portugal, empatada com a Miss Grécia, Alice Diplarakou. A Miss Estados Unidos, Beatrice Lee, ficou com o terceiro lugar.

Podemos dizer que no ano de 1930 dois gaúchos conquistaram a atenção do Brasil, Yolanda Pereira, por se tornar a primeira brasileira a ganhar um concurso internacional de beleza e Getúlio Vargas, que iria governar o Brasil por 15 anos.
 
A Noite - Suplemento. Rio de Janeiro, 11 de setembro de 1930, n. 21, p. 16.

A comissão julgadora foi formada por representantes de vários países. O presidente era Pereira Carneiro, e entre os jurados estava os artistas plásticos Navarro Costa e Torquato Tarquinio (Itália), Gonfaliere (Argentina) e Petrus Verclier (França), os jornalistas Pedro Bordalho (Portugal), Maurice Wallefe (França), Power (Estados Unidos), o poeta Villaespeso (Espanha) e José Augusto Prestes (Presidente do Vasco da Gama). A Miss Brasil não era considerada favorita, mas acabou levando o título. Tendo em vista que a comissão julgadora era composta por indivíduos de vários países ela não teve nenhuma ajuda.

Entre os prêmios que a vencedora do concurso recebeu, estava um bilhete de loteria no valor de 500 contos. Patrocinadores presentearam as concorrentes com sapatos, roupas, perfumes, máquinas de escrever, etc. Ao que tudo indica o jornal A Noite conseguiu mobilizar não boa parte da população do Rio de Janeiro em torno do evento Arregimentou, também, um grande número de patrocinadores que permitiram que o periódico realizasse uma grande festa na capital do Brasil.  

A ampla cobertura que o jornal faz do evento seja por fotos ou reportagens passa uma impressão diferente daquela que temos (ou que pelo menos eu tenho) dos concursos de beleza da atualidade. As misses são apresentadas como mulheres empoderadas, que se interessam por assuntos relevantes, como mulheres de opinião. Apesar de todo glamour, elas são mulheres comuns, que não exploram excessivamente o corpo para vender sua imagem. Elas representam o ideal da mulher moderna do final da década de 1920. Claro, estamos falando da mulher de elite, culta e com acesso a informação e escolarização. 

A década de 1930 foi emblemática para o movimento feminista no Brasil. É bom lembrar que as mulheres conquistaram seu direito ao voto em 1932, direito este reconhecido e ratificado pela Constituição de 1934. Nesta época foram eleitas as primeiras mulheres para assumir cargos políticos. Tudo isso graças à mobilização da sociedade através de organizações como a Federação Brasileira pelo Progresso Feminino, fundada em 1922.

Fontes:
A Noite - Suplemento. Diversos Números. Disponível na Hemeroteca digital da Biblioteca Nacional. http://memoria.bn.br/hdb/periodico.aspx

SANT’ANNA, Denize Bernuzzi de.  História da Beleza no Brasil. São Paulo: Contexto, 2014.

YOLANDA Pereira: Miss Universo de 1930. Disponível em: http://www.fernandomachado.blog.br/novo/?p=136274, acesso em: 28 jun. 2016.

YOLANDA Pereira. Disponível em:  https://pt.wikipedia.org/wiki/Yolanda_Pereira, acesso em: 28 jun. 2016.


2 comentários:

Anônimo disse...

I still think that some of the most beautiful women I've ever seen were in that room full of women cartoonists last Summer when I was in San Paolo. They are ALL Ms Brazil!

Natania Nogueira disse...

Thanks! Trina!!!
:-)