quinta-feira, 31 de dezembro de 2009

Reflexão de final de ano


Caros amigos, colegas educadores e pesquisadores,

Com essa reflexão gostaria de desejar a todos um feliz 2010, onde possamos continuar errando e aprendendo. Onde possamos fazer novas descobertas sobre o outro e sobre nós mesmos.Que o ano de 2010 seja um ano fértil para que possamos cultivar o amor, a esperança e plantar a semente da paz, pois só desta forma iremos trilhar um caminho de realizações.

Educar é errar e aprender com os erros. Acredito que o ofício de professor nos ensina essa lição: todos nós temos falhas e todos nós cometemos erros, apesar das boas intenções que muitas vezes movem as nossas atitudes. Então, o professor é um aprendiz em constante processo de aperfeiçoamento profissional e pessoal.

Não há como separar as duas coisas, como algumas pessoas acreditam. O professor é um ser humano que vive conflitos diários no ambiente de trabalho e no ambiente privado. Erramos muito mais do que acertamos, uma vez que somos “gente”. Mas o erro ajuda a mostrar os caminhos que não devemos tomar. Não somos detentores da verdade absoluta dos fatos. Umas vezes esquecemos a grafia correta de uma palavra, outra vezes respondemos alunos e colegas de forma rude. Estes são os sintomas da nossa humanidade.


A perfeição é uma meta almejada, mas nunca alcançada. Temos que ser capazes de aprender com os obstáculos, com nossos erros e buscar seguir em frente na nossa vida e no nosso trabalho de cabeça erguida, mas deixando de lado a arrogância. Sim, somos arrogantes, mesmo quando achamos que não, principalmente quando não queremos sê-lo.

Para o professor como para qualquer outro profissional é difícil dizer: eu errei. No entanto, é mais difícil viver escondendo os erros ou fingindo que eles não existem.


Certa vez, nos primeiros anos da minha profissão, por não entender um aluno, entender suas limitações e dificuldades, eu o decepcionei. Não podia desfazer o que havia feito, mas podia admitir meu erro e procurar não repeti-lo. Continuei errando, claro, mas procurando sempre aprender com meus erros.


Durante a vida nós decepcionamos muitas pessoas, mas nossos alunos são aqueles que mais sofrem quando o professor não entende suas necessidades, quando deixa suas incertezas ou mesmo o excesso de confiança em si mesmo influenciarem suas ações diárias.


É muito difícil. Nunca vamos entender todos, nunca vamos agradar todos, mas devemos aprender que educar é demonstrar carinho, compaixão, ser firme nas horas certas, mas não ter medo de admitir que erros podem acontecer e devemos estar preparados para enfrentá-los, por mais sofríveis que sejam.


A humildade de admitir que podemos errar e que devemos buscar a redenção dos nossos erros através de ações construtivas faz o professor crescer. Esta “formação” deve ser tão trabalhada quanto a formação intelectual do docente.


Educar então é errar, aprender com erros, tentar entender o próximo e evitar parâmetros de comparação, pois todos somos pessoas com capacidades e incapacidades, temos que aprender que na escola ou na vida somos chamados a trabalhar para a nossa felicidade e a felicidade daqueles com quem compartilhamos nosso tempo, sejam 365 ou 200 dias por ano.


Feliz Ano Novo!


2 comentários:

Jenny Horta disse...

Querida Natania! É muito bom ter coragem e assumir quando erramos. Essa é a verdadeira superioridade humana e todos sabemos que não somos perfeitos. O fato de assumir um erro não desmerece nossa qualificação e profissionalismo. Pelo contrário: nossos alunos nos respeitarão muito mais se nos mostramos amigos. Que 2010 seja produtivo e repleto de harmonia pra você e todos que a cercam.

Natania Nogueira disse...

Oi Jenny!
A gente tem que refletir sobre o que faz e sentir um pouci de arrependimento, senão não aprende nunca. Aliás, eu desconfio muito de quem diz que não se arrepende de nada, pois dificilmente é uma pessoa que aprende com a vida.