domingo, 28 de dezembro de 2014

HERÓIS E SUPER HERÓIS NO MUNDO DOS QUADRINHOS


Minha meta para as férias é de ler um livro por dia. Deus sabe o tamanho da pilha que se avoluma nas minhas prateleiras. Alguns de ficção, a maioria livros teóricos. Tenho ainda livros que comecei a ler mas cuja leitura tive que interromper. Esses serão uma das prioridades. Possivelmente o leitor do blog irá se deparar com mais de uma resenha por dia.

Mas vamos para o primeiro. Resolvi começar minhas leituras por um dos últimos livros que adquiri: Heróis e super-heróis no mundo dos quadrinhos, escrito por Nildo Viana e publicado em 2005, pela editora Achiamé, do Rio de Janeiro. Mas antes de partir para a obra, cabe aqui uma breve apresentação do autor. 

Nildo Silva Viana é formado em Ciências Sociais pela Universidade Federal de Goiás. Fez seu mestrado em Filosofia pela mesma universidade e se doutorou em sociologia pela Universidade de Brasília. Atualmente é professor da Universidade Federal de Goiás. Sua obra é de influência marxista. Ela é ampla e abrange vários fenômenos sociais. Em seus estudos sobre cultura de massas ele dá um enfoque especial aos quadrinhos, tendo, pelo menos, três livros publicados sobre o tema, e um número ainda maior de artigos. Diga-se de passagem Nildo Viana é um dos poucos marxistas que conheço que pesquisam quadrinhos.

O livro em questão, publicado em 2005, é uma obra que analisa o papel axiológico dos quadrinhos, tendo como lócus privilegiado os quadrinhos de super-heróis. O autor entende por axiologia "o padrão dominante de valores em nossa sociedade, os valores burgueses".

Uma vez que os super-heróis são um gênero dos quadrinhos originado nos Estados Unidos, Viana traça inicialmente uma breve história dos quadrinhos naquele país. Começa com surgimento dos quadrinhos de aventura e chega ao aparecimento do primeiros super-heróis. Para quem não tem um conhecimento prévio do tema, essa introdução à história dos quadrinhos é fundamental. O leitor tem acesso a informações importantes que ajudam a contextualizar os quadrinho e a entender melhor seu caráter axiológico.

Nos capítulos que se seguem, Nildo Viana trabalha ainda o conceito de inconsciente coletivo, relacionando-o ao mundo dos super-heróis. É um livro pequeno, em formato (12x18) e em número de páginas (77 p.) e de leitura rápida e agradável. Para os amigos marxistas, que ainda não tiveram a oportunidade e ler sobre quadrinhos, eis uma ótima dica. Para os demais colegas vale a pena a leitura do livro pela forma como o autor trabalha conceitos e noções da sociologia, aplicados aos quadrinhos.

2 comentários:

Danielle Barros Fortuna disse...

muito bom o texto! fiquei curiosa para ler a obra!!!

Amaro Braga disse...

Já li e recomendo.