terça-feira, 27 de janeiro de 2009

Resgatando a documentação de Leopoldina

Hoje a tarde eu e Lucilene Nunes fomos até o "arquivo" da prefeitura para tentarmos começar um longo processo de organização e recuperação do acervo. Pois bem, nos interessa a documentação produzida no século XIX a meados do século XX. Infelizmente esta documentação foi depositada em uma sala, que fica em um prédio onde funcionam alguns organismos públicos.

A dita sala está fechada há anos, sem ventilação. A lâmpada não acende e a janela não pode ser aberta por conta de uma pilha imensa de papel que a cobre quase que pela metade. Este é um pedaço do arquivo de Leopoldina (outra parte fica em uma casa alugada pela prefeitura, e em melhor estado de conservação). O que fizemos hoje é um reconhecimento. Podemos afirmar que existe ali documentação da época do império, misturado a livros de ponto, atas de reuniões da Câmara, registros financeiros e muito, muito papel esparramado e livros despedaçados.



A atual gestão no deu carta branca para organizar ou pelo menos tentar ordenar a documentação. Mas será um trabalho pesado, que deve tomar dias (só para separar o que está no depósito que chamam de arquivo). Após esta separação, a sala deverá ser arrumada (com armários, e mobiliário necessário) para que esta documentação possa ser consultada. Em alguns meses talvez tenhamos um espaço para consulta deste material, que pode ser muito importante para a construção da nossa história.

8 comentários:

Wolney disse...

Oi Natania, eu sugiro, se for o caso, montar um projeto e encaminhar para a fundação de apoio à pesquisa do Estado, solicitando monitores. Isto ajuda.

Abraço e bom trabalho!
Wolney

Natania Nogueira disse...

Obrigada, Woney!
Estamos tentando tudo. Mas é fundamental remover e separar esta documentação antes de tratá-la. E os riscos para a saúde, pelo que fiquei sabendo, são grandes. Enfim, antes de mais nada temos que arrumar um espaço adequando para este material. Enfim, não sei se fico animada ou desesperada.

Luiz Otavio Meneghite disse...

Natania
Conheço duas pessoas em Leopoldina que poderiam trabalhar na recuperação dos documentos, têm sensibilidade para separar o que é histórico do que pode ir para o lixo, mas teriam que ser remuneradas,afinal, só relógio trabalha de graça.Se interessar à Secretaaria de Cultura entre em contato comigo no jornal. Luiz Otavio Meneghite/Jornal Leopoldinense.

Natania Nogueira disse...

Valeu, Luiz Otavio! Vamos nos reunir esta semana e eu entro em contato com vc.
:-)

edsonpeixoto disse...

Natania, amigo Luiz Otávio e demais leopoldinenses.
Primeiramente parabenizo a todos(as) pela iniciativa do resgate histórico daquela que já recebeu o título de Atenas por sua educação.
Além das idéias já colocadas aqui e plenamente viáveis e possíveis, acredito ser importante uma denúncia formalizada ao Ministério Público para que ações como essas não se repitam mais. Salvo melhor juízo, o caos que se encontra o arquivo, pode ser imputado como "Improbidade administrativa".

Edinho CEFET (agora Instituto Federal do Espírito Santo)

Natania Nogueira disse...

Obrigada, Edinho!
Hoje fizemos alguns avanços, dentre eles um espaço adequado para a guarda da documentação e equipamento para higienização e trato dos documentos. Creio que, em breve, poderemos contar com um acervo organizado e aberto à consulta pública. As autoridades municipais (do executivo e do legislativo) estão se mostrando muito interessadas e dispostas a colabora o máximo possível. Infelizmente, o estado em que esta parte do arquivo de Leopoldina se encontra não é uma exceção e sim uma regra.

nilza cantoni disse...

Natania
Daqui de longe estou torcendo para que vc consiga continuar o trabalho que eu não consegui concluir. Espero que vc obtenha apoio também da iniciativa privada. Grande abraço,
nilza
www.cantoni.pro.br

Natania Nogueira disse...

Oi, Nilza!
Bom ter notícias suas!! Seu e-mail tem voltado sempre. Se tiver um novo, mande pra mim Tenho boas novas: acho que finalmente teremos um arquivo organizado para fazer pesquisa.
Um grande abraço!