quarta-feira, 18 de junho de 2008

Tebas: uma pouquinho da história deste distrito de Leopoldina

Tenho me interessado em recolher informações básicas sobre alguns dos distritos de Leopoldina para, futuramente, quem sabe, poder fazer um estudo realmente aprofundado da sua história. Há muito realmente o que se pesquisar, pois a história do município ainda é um grande mistério. Fazendo uma busca na internet eu tive a sorte de encontrar um site dedicado a Tebas, distrito de Leopoldina desde 1880. Um site muito bem feito e muito bem cuidado, devo acrescentar. De lá tirei as informações que seguem.
O nome do distrito pode ser atribuído a Manoel Joaquim Thebas que foi vizinho da fazenda Feijão Cru, que pertencia a Manoel Antônio de Almeida, que teria vivido na região por volta da década de 1850. Povoado originalmente pelos índios puris, o distrito começou a ser ocupado nas primeiras décadas do século XIX, seguindo a cronologia de ocupação do município de Leopoldina. O povoado foi elevado a distrito pela lei provincial nº 2675, de 30.11.1880. A confirmação eclesiástica veio com a lei nº 2848 de 25.10.1881 que elevou o distrito a Freguesia. E a lei nº 3113, de 1882, registra o nome do distrito como Santo Antônio de Tebas.
A lei que criou o distrito autorizou a câmara municipal de Leopoldina a estabelecer as divisas. Para este fim a câmara nomeou comissão de vereadores que estudaram o assunto e apresentaram parecer, que foi aprovado em plenário com a ressalva apenas de que o nome do lugar passou a ser Santo Antônio dos Thebas, ao invés de Santo Antônio do Monte Alegre como anteriormente era conhecido.
O distrito de Tebas foi constituído por terras antes pertencentes a Leopoldina (sede), Piedade (Piacatuba) e Rio Pardo (atual Argirita). Assim, pela lei nº 2938, de 23.09.1882, algumas fazendas da Piedade foram transferidas para Thebas. Em 06.10.1883 foi a vez de Rio Pardo perder algumas propriedades que passaram para o novo distrito. E em 18 do mesmo mês, através da lei nº 3171, a fazenda de João Pereira Valverde foi transferida de Thebas para a freguesia de Piedade (7). Em 1882 a Lei 3113 instituiu o Distrito Policial em Tebas.

Curiosidades:
- O distrito já teve um jornal. O nº 01 da "Folha de Tebas" circulou em 1918, com noticias variadas, que falavam do cotidiano, dos projetos políticos, da preocupação em dotar o distrito de "força e luz elétricas", coluna social e anúncios classificados que revelam o comércio existente na Tebas da época. E tinha até poesia na primeira página. Dá pra imaginar como era a vida dos tebanos.
- O pai de Noel Rosa, Manuel Garcia de Medeiros Rosa, é filho de Leopoldina, viveu na cidade até os 18 anos e posteriormente passou a viver no Rio de Janeiro. Apaixonado por Marta, filha do casal Eduardo e Rita Corrêa de Azevedo, residentes no Brejo, hoje Tebas, acabou se casando com ela.
- Tebas, tem 2.007 habitantes de acordo com o censo IBGE 2000. Está situada às margens da BR 267, que liga Leopoldina a Juiz de Fora. As principais atividades econômicas são agricultura, pecuária e a fabricação artesanalde doces em compotas e em barras. Visite o site de Tebas e veja a linda galeria de imagens de janelas, clicando aqui.


Fontes:

3 comentários:

Luciana Conti Tavares disse...

Adorei ver as fotos de Tebas antiga. Tenho muitas saudades deste lugar que sempre vai estar na minha memória e afeto.

Natania Nogueira disse...

Obrigada!
Goataria de ter mais, de ter tempo para conseguir mais fotos. No futuro, quem sabe.

Ronaldo Kneipp disse...

Passei metade de minha vida, até cerca de meus 35 anos, indo a Tebas várias vezes por ano, em férias e feriados, pois meus avós moravam lá.Casei em Tebas, em 1984,
e, como carioca,sempre tive o maior dos prazeres por cada minuto que vivi em Tebas, as lembranças mais marcantes, as emoções mais importantes, os amigos mais inesqueciveis.Boa saudade ...
Ass. Ronaldo Kneipp